Publicado por: josienkapma | 20/04/2010

APROLEP – reflectir, comunicar, avançar

A APROLEP foi estabelecida para lutar “pelo futuro do leite português!” Para manter um sector de produção de leite que seja saudável e diversificado em Portugal. Não apenas explorações industriais de grande escala, mas também a agricultura familiar.

Para um sector de leite a florescer,  é necessária uma boa orientação para o mercado, e atenção aos parceiros ( transformação e supermercados). APROLEP é uma antena comum para a recepção de sinais a partir da cadeia de comercialização.

Mas também é preciso uma boa política de Bruxelas. Não tanto para subsídios, mas para a gestão prudente do mercado de lacteos. E para obtê-lo é muito importante que a voz dos agricultores seja ouvida em Lisboa. APROLEP é uma voz comum para os agricultores serem ouvidos no mercado, pelos consumidores, políticos...

Estado da política de leite em Bruxelas

Na conferência de Bruxelas de 26 de Março, organizado pelo Grupo de Alto Nível sobre o Leite também se mostrou a necessidade de políticas de apoio. Lá, como ferramentas de gestão do mercado mencionaram:
transparência, a origem de produção nas etiquetas, a intervenção, e regras gerais para os contratos entre os agricultores e transformadores. O ponto importante desses contratos é que os agricultores precisam saber com antecedência o  preço do leite, e não depois da entrega…

Em geral, podemos dizer: Os sinais do mercado deve rapidamente chegar na quinta. Mas também vice-versa: os agricultores precisam de participar mais e orientar-se para o mercado.

Segundo o relatório do Grupo de Alto Nível sobre o Leite:
A crescente volatilidade dos preços do leite não deve ser em grande parte transferido para os agricultores. Todos os elos da cadeia são parte dessa responsabilidade. Portanto, a posição dos produtores no ‘direito comunitário da concorrência’ deve ser reforçada.

Em suma, precisamos de trabalhar/negociar  em conjunto entre agricultores. Isso exige que as relações entre produtores sejam fortes. APROLEP é investir em relacionamentos estratégicos para o futuro.

Impressionante: o subsídio será aqui?

Dacian CIOLOS, o comissário da agricultura da UE, foi claro: as cotas desaparecem. Mas é impressionante que uma clara maioria dos Estados-Membros da UE estejam a favor da manutenção de um prémio fixo para a estabilidade do rendaimento aos agricultores. Segundo a apresentação de Jean-Luc Demarty (Director da DG Agricultura), realizada em Bruxelas.

Portanto, há muito movimento. APROLEP coletivamente é reunir e compartilhar informações.

Estrutura APROLEP

Esta é a estrutura que APROLEP escolheu para representar Portugal: Todos os membros em conjunto, constituem a Assembleia. 5 zonas do país, de onde são indicados 25 membros para o conselho nacional. Também se espera a participação de representantes da sociedade civil, sobretudo técnicos que trabalham com os produtores.

As regiões: 1. Entre Douro e Minho, 2. Trás-os-montes, 3. Entre Douro e Mondego, 4. Entre Mondego e Tejo, 5. Sul do Tejo

Na Assembleia Geral, a cada 4 anos, são eleitos 5 para formar a Direcção. Para evitar que as pessoas fiquem eternamente numa posição, um presidente pode ficar no máximo 8 anos na função. Os controles financeiras são feitos pelo conselho fiscal. Todas as posições são voluntárias, os fundos são limitados. Todos os dirigentes são produtores de leite.

Mais informações sobre APROLEP:

Folheto de Informação APROLEP: folheto aprolep


Categorias

%d bloggers like this: